quinta-feira, 29 de março de 2018

Ando tão cansada, tão precisada de Sol, de noites longas bem dormidas.
Por vezes a vida obriga-nos a isto, a abrandar o ritmo. A deixar marinar o que não carece de urgência, a dizer não, a limpar da agenda, a arquitectar dias inteiros sem compromissos.
(...)

Querido R

Foi assim que alguém te fotografou pela primeira vez.
Foi a nossa little mermaid, a tua prima Bibi, que do alto dos seus seis aninhos te desenhou desta forma. Com uma capa de herói e uma estrela no olhar. Com um sorriso e envolto numa aura cheia de cor.
Faltam dias para chegares as nossas vidas, meu pequeno grande Amor...

Flash




Presentes enfeitados pelo teu olhar

quarta-feira, 14 de março de 2018

Stephen Hawking

Fim do percurso, hoje.
Li ha uns anos a biografia deste senhor. Todos deveríamos faze-lo, para compreendermos melhor o homem e a obra.

sábado, 3 de março de 2018

Quanto mais se reinventa, quanto mais sementes se comem, quanto mais dietas se vendem, quanto mais brunch na cidade houver, mais e mais eu gosto da cozinha tradicional.
Cadernos

Na algibeira do coração

O sorriso da minha sobrinha, o abraço das minhas irmãs, o colo da minha mãe. As camélias esplendorosas da cidade nestes dias, as tulipas vermelhas. Lençóis brancos e a cama acabada de fazer. Um banho de agua quente no fim do dia, um bom vinho tinto. O barulho da chuva la fora, pessoas tão simpáticas que sorriem igual nestes dias como nos dias de Sol. As tuas mãos, a imortalidade do calor das nossas almas juntas. Planos novos, um jantar com os amigos, aprender mandarim ou patinagem - aprender. Morangos todos os dias, e o cheiro inebriante das tangerinas. A ilha quieta nos dias de Verão. O nosso segredo. Pessoas tão valentes que partem para a Síria (...), pessoas muito simples. Manhãs feitas de Sol e silencio, o mar. Cadernos novos. Milagres, saber que acontecem. Presentes sem data importante.
(...)

sexta-feira, 2 de março de 2018

Sobre o mau tempo

Sabe-me bem estes dias assim, tão frios, cinzentos, cheios de lavagem das coisas, a dar um chega para la forte nas gentes. A fazer estragos é certo, mas também a fazer despertar as minhas orquídeas selvagens, a encher os pulmões dos campos, a abastecer-nos do que nos pode fazer muita falta no futuro e nem nos damos conta.
Lembro-me que em finais do ultimo Novembro tivemos dias de trinta graus. Portanto acho justo, muito justo, que também a Primavera se atrase um bocadinho em chegar.

Sem palavras

"430 toneladas de ajuda humanitária estão a ser entregues a cerca de 50 mil pessoas no distrito de Alepo, na Síria, numa operação conduzida pelo Comité Internacional da Cruz Vermelha e pelo Crescente Vermelho Sírio.
Este comboio humanitário é constituído por 29 camiões e contempla 7.450 refeições, 1.700 kits de higiene, 2.500 colchões, 20.000 cobertores e 2.080 roupas de inverno.
A situação continua dramática e a Cruz Vermelha reforça o seu apelo a todas as partes em conflito para realizarem todos os esforços possíveis para encontrar uma solução política tendo em vista acabar com este sofrimento."
Pagina oficial da Cruz Vermelha Portuguesa