terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Tantos anos depois, voltaste ao meu abraço.
Estou tão triste por dentro, tão descrente, que nao consigo pensar sobre nos.
Mas fica; cuida-me, cura-me. Ensina-me sobre o amor porque todos estes anos eu apenas desaprendi, ensina-me como me ensinaste a primeira vez ha tantos anos atras.
Nao sei se ha destino ou nao, nem se vou ser capaz de te amar como amei; nao sei se vai ser possível confiar em ti outra vez.
Mas vamos viver isto assim, bem devagarinho como esta a acontecer. Sem termos que dar satisfações ao mundo ou a alguém. Sem esperarmos nada, nem mesmo um do outro.
(...)

1 comentário: