segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Depois de doze dias seguidos de trabalho, nao tenho grande capacidade para pensar. Sei que preciso de descansar, de organizar uma serie de coisas. Mas em tal ponto de cansaço, adquiri como estrategia de sobrevivente so fazer e pensar numa coisa de cada vez.
O meu regresso tem sido pautado por incríveis aprendizagens. Sobre mim mesma, sobre o mundo que me rodeia, sobre as prioridades, sobre o amor ou a falta dele. Tenho aprendido essa verdade terrível: nascemos e morremos sozinhos. Ha uma serie de pessoas no nosso mundo que nem sequer nos salvariam se fosse preciso, ha uma serie de outras pessoas que nem imaginamos como seriam capazes de nos salvar se fosse preciso.
Nao me apaixona, nao me faz feliz, mas sinto-me orgulhosa de mim mesma pelo trabalho que sou capaz de fazer, pelos sacrifícios no meu caminho, por sozinha me bastar financeiramente.
Todos os dias acredito que em algum ponto do caminho Deus vai mostrar-me o lado certo de tudo, de quem foi embora, das portas que se fecharam, das pedras no caminho.
(...)

Sem comentários:

Enviar um comentário