quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Aquele amigo de ha muitas vidas, aquela pessoa com mais de o dobro da minha idade mas que me ilumina como um farol.
Ligou-me para me dizer que teve um acidente de carro, e que foi um susto tão grande; senti-o tremer na voz para depois fazermos uns segundos de silencio; senti-me levar um murro valente no peito. Nem sempre dedicamos aos Amigos o tempo que eles realmente merecem. A vida dos que amamos mantém-nos as janelas abertas, e tantas vezes nem damos pela luz.
(...)

Sem comentários:

Enviar um comentário