quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Quando despertei pela manhã pensei que estava morta. Demorei uma hora a arrumar as ideias e as vontades. Um bom banho e a certeza de que muitas vezes na vida so sobrevivemos se formos egoístas. Roupa confortável e rumo ao parque da cidade.
Dia belíssimo, não tenho memoria de um Inverno mais generoso. Com a caminhada cheguei a sentir calor de Verão. Imensa gente a correr, a praticar footing, a passear os cães. Fiquei sem bateria antes de chegar la em baixo junto a praia, acontece-me sempre o mesmo. Mas não faz mal, minha historia de amor com o mar precisa disso mesmo, se ser a sos. Sem flash, sem ruido. Foi mesmo bom caminhar a pé quatro horas, parar na Doce Mar para tomar um cafe com leite e matar saudades dos croissants, perder o olhar nos navios la longe, esbatidos como miragens minhas. Foi mesmo bom ver tanta florinha ja a gritar pela Primavera. Sentir o Sol na minha pele, a aragem boa do mar, o silencio profundo, o cheiro a eucalipto no parque. Nao poder fotografar a arvore laranja, os melros apinhados no topo da arvore nua; mas guardar tudo ca dentro.
Ver mais casais de namorados de mãos dadas do mesmo sexo do que de sexos diferentes; e isto confesso que sim me espanta.
Pensei em muitas coisas, no que quero e não quero, nas saudades das minhas amigas, tempo tem sido tão pouco.. No amor, que continua a ser um mistério absolutamente insondável para mim.
Mas que grandeza, que poder, sentir que Deus nos deu a Natureza, os Bichos, o Mar. E que não há muros nem homens capazes de impedir que o pássaro mais frágil e pequeno possa voar.
Virão as chuvas, tanta coisa bela que vi hoje se irá perder..
Mas a Vida é isso mesmo, renovação constante.
Believe.
(...)

Sem comentários:

Enviar um comentário