segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Quando alguém nos faz a todos herdeiros

Acho que quase todas as musicas do George Michael eram boas de se ouvir. Tinham ritmo, eram dançáveis, diziam coisas que todos sentimos. Houve um tempo em que muitas adolescentes tiveram um poster dele na parede do quarto; era giro, tinha um certo sexappeal.
Faz parte de uma geração de cantores que todos achamos que nao se repetem, e por ironia do destino ja nao é so por causa da musica que nos vamos lembrar dele no Natal. Foi também por causa do George e de outros como ele que algumas pessoas viram com outros olhos a homossexualidade.
Nao consigo partilhar nenhuma musica dele, nem consigo escrever muito mais para alem disto; nao costumo entrar na febre da partilha nas redes sociais embora estar aqui a escrever sobre isto ja seja um sintoma. Era demasiado jovem, sobretudo.
(...)
Este Natal também li nas noticias que faleceu a bordo de um avião, uma menina de dez anos com uma paragem cardiaca. Conseguem imaginar?
(...)
Como velas que se apagam, interrompidas pelo sopro.

Sem comentários:

Enviar um comentário