quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Humidade e odor a bosque, a pinho.
Silencio que restaura a nossa fibra interior.
Todos os incontáveis tons do mais romântico Outono.
As arvores de folha resistente, os tapetes de folhas no chao.
Os bichos de Darwin, os mais valentes.
A luz magica do fim da tarde, como um ultimo olhar de quem parte ficando.
E depois o mar.
Como uma costela inteira. Como o colo. Como chegar.
(...)

Sem comentários:

Enviar um comentário