quinta-feira, 22 de setembro de 2016

As vezes sinto-me uma especie de mago, outras vezes uma lagartinha bem frágil, daquelas verdes que se aplastamos sao feitas so de caule e folha de planta (ou isso nos parece).
Ando a dormir pouco, a correr muito, aborrecida com meio mundo, sempre a adiar coisas importantes, literalmente a empurrar o mundo com a barriga.
(...)

Sem comentários:

Enviar um comentário