terça-feira, 16 de agosto de 2016

Seres o meu refugio. Nao é o meu corpo nem a forma que ele tem, é a minha vontade de o mostrar a ti. Nao é o momento, a loucura, a banalidade; é o que acontece depois quando estou acompanhada de outros e sorrio sozinha porque me lembro de nos; porque existe o mundo dos outros e existe o nosso mundo. Desejo é sensualidade e sensualidade em nos começou com a palavra, como se o nosso desejo tivesse esqueleto. Uma febre feita de saudades, saudades que vem de dentro, vem do fundo, vem da alma.
(...)

1 comentário: