terça-feira, 16 de agosto de 2016

Flash

Como a sombra da unica arvore no caminho

"Meu coração é um bordel gótico em cujos quartos prostiuem-se ninfetas decaídas, cafetões sensuais, deusas lésbicas, anões tarados, michês baratos, centauros gays e virgens loucas de todos os sexos. 
Meu coração é um traço seco. 
Vertical, pós-moderno, coloridíssimo de neon, gravado em fundo preto. Puro artifício, definitivo. (...) 
Meu coração é um bar de uma única mesa, debruçado a qual um único bêbado bebe, um único copo de bourbon, contemplado por um unico garçom. 
Meu coração é um sorvete colorido de todas as cores, é saboroso de todos os sabores. 
Meu coração é uma sala inglesa com paredes cobertas por papel de florzinhas miudas. 
Lareiras acesas, poltronas fundas, macias, quadros com gramados verdes e casas pacíficas cobertas de heras. 
Sobre a renda branca da toalha de mesa, o chá repousa em porcelana da China. 
No livro aberto ao lado, alguém sublinhou um verso de Sylvia Plath: "Im too pure for you or anyone." 
Não há ninguém nessa sala de janelas fechadas. 
Meu coração é um filme noir projetado num cinema de quinta categoria. 
(...)"
Caio F. Abreu

Sem comentários:

Enviar um comentário