terça-feira, 2 de agosto de 2016

Bom dia Vida

Aqui a tomar um cafe com a taça no parapeito largo da janela, enquanto observo a vida la em baixo no campo do vizinho e percebo o canto dos pássaros na cidade, compreendo a sorte do momento.
Eu nao tenho grandes coisas, nao sou proprietária de casa nem carro (nao conduzo), ja fiz tres viagens este ano mas nao tenho perspectivas nenhumas de fazer a próxima e o Agosto-pausa do mundo para mim seria so o mes ideal para trabalhar arduamente. Eu nao tenho grandes vaidades, so muito orgulho em ter pago a pronto a minha pós-graduação, o meu macbook, as minhas despesas mensais sozinha. Mesmo que depois fique privada de passeios com os amigos ou tardes nos saldos. Eu nao tenho um companheiro mas continuo a acreditar que sou das pessoas com mais paz interior, continuo a acreditar que so vai ser bom se for Amor. Eu nao tenho grandes expectativas mas todos os dias percebo que a minha formação, profissional e  pessoal, precisa de ser alimentada como uma criança em fase activa de crescimento. Eu tenho uma mãe muito amiga, que me ligou hoje de manhã bem cedo e ficamos as duas a namorar e a rir por contar coisas traquinas dos tempos em que o Garfield era um garoto. Percebem?: Eu vivo sozinha mas eu nunca estou sozinha. Eu tenho uma japoneira a crescer todos os dias a olhos vistos, uma orquídea de exterior cheia de filhotes, mesmo que depois mate cactos por nao perceber que eles nao precisam de agua. Eu tenho grande espirito de sacrificio, gosto de subir escadas e sobretudo de reflectir nos patamares. Gosto que as coisas façam sentido. Gosto de gente boa, muito muito; dessa gentileza interior, dessa coisa de berço. Adoro ver os aviões passar desde a janela da minha cozinha. Aos domingos compro o jornal e reservo duas horas para o ler, sempre. De vez em quando gosto de ir a missa das sete so porque no final o padre canta uma musica para Maria, gosto da forma como ele gesticula os braços, da voz, das palavras tão simples. Se posso comprar flores frescas, sou muito feliz. Gosto tanto de todas essas pequenas coisas na minha vida; da sorte, da fortaleza e da organização que me permitem. Mesmo quando tudo parece tão difícil, gosto do poder de Acreditar e de Agradecer. E das manhãs em que despertamos assim, com esta serenidade e estas certezas maiores.

Sem comentários:

Enviar um comentário