segunda-feira, 11 de julho de 2016

Ja nao consigo, sequer, sentir a tua falta.
Magoaste-me á seria. Levantei-me rápido porque tive a exacta noção de que tal como num combate com o inimigo, se me mantivesse segundos no chão, me darias o golpe final.
O que eu gostei de ti nao esta escrito em livro nenhum. Seria capaz de viver contigo o resto da minha vida, sem sapatos, nas ruas de um pais que nao sei o nome nem conheço a língua.
(...)
De ti aprendi que muitas pessoas sao mesmo capazes de tudo, e capazes de nada também.

1 comentário: