segunda-feira, 18 de julho de 2016

Agradecem-se todas as bênçãos e orações do mundo

Muitas entrevistas, algum cansaço, cair na realidade pura e dura da situação laboral neste nosso cantinho a beira-mar, perceber o escândalo brutal do aproveitamento / exploração por parte das empresas, especialmente de pessoas com formação superior (hoje ofereceram-me o salario mínimo para trabalhar de segunda a sábado, oito horas diarias com exigencias de nivel elevado de línguas; e pelos vistos aquele era o melhor emprego do mundo e eu serei a criatura mais ingrata no meio disto tudo). Ver que altos cargos públicos sao coniventes com isto, ouvi-los do alto do poleiro dizer que aquela será a grande oportunidade das nossas vidas. Nunca mais serei escrava de um status; se vai ser para ganhar um salario mínimo prefiro ser recrutada por uma empresa de limpezas e digo isto com toda a honestidade do mundo, pelo menos nao tenho que estar a falar francês com ninguém.
Tarde no hospital de visita a alguém com a vida no fio da navalha, dar mil voltas ao pensamento por perceber que tudo muda num segundo.
Receber uma factura de luz exorbitante, referente a um mes no qual eu estive dez dias fora; ha por ai alguma boneca de trapo cheia de alfinetes igualzinha a mim, so pode!
No meio disto tudo encontrar pessoas boas, gente que nem conheço e me sorri na rua; chegar ao hospital e descobrir que ja ha maquinas iguais as que vendem bebidas, mas que vendem flores. Dar um abraço quase dezassete anos depois.
(...)

Sem comentários:

Enviar um comentário