quinta-feira, 30 de junho de 2016

Ultimo dia

Ultimo banho de mar. Pele morena, sal, sol na alma. A ultima Tropical com limao fresca.
Nem eu sabia que precisava tanto de ter feito esta viagem.

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Porque a Vida vale

A terapia do mar, sempre.
Fiz largas caminhadas com os pes na agua, na areia fina e negra. Sozinha, a escutar a cancao do mar, entre os barcos e gaivotas, a fotografar pedras e conchas e o rebentar das ondas e o espelho magico que forma a agua quando desliza em recolhida. A sorte de encher-me dessa incrivel luz dos amanheceres junto ao mar, de encher-me de novo de paz e gratidao. Poder viver dez dias de ilha, depois de tudo.
Fui capaz de lavar e estender ao sol a tristeza que trazia quando cheguei. Fui capaz de fazer a maior confissao da minha vida e sentir-me, por causa disso, a pessoa mais leve do mundo.

terça-feira, 28 de junho de 2016

Istambul

Hoje ca em casa, enquanto jantavamos, a minha irma saiu-se com uma afirmacao tao do fundo da alma, que me chocou. Escuto e leio todos os dias nas redes sociais e nos meios de comunicacao, mas dentro de minha casa foi a primeira vez. Por ela todos os arabes e descendentes seriam expulsos imediatamente da Europa, para ela todos os muculmanos sao iguais. Lembrei-lhe que se todos os judeus nao eram iguais, se todos os negros nao eram iguais, todos os arabes nao podem ser iguais, tal como todos os europeus nao sao iguais. Mostrou-se intransigente, ainda que eu apelasse a memoria dos filmes e documentarios sobre o holocausto nazi.
Era exactamente assim que Hitler pensava.
Esta tao enfurecida por estes atentados que transtornam a todos, compreendo-a mas choca-me.
Podemos imaginar, todos aqueles que temos a sorte de nunca termos vivido uma guerra, o quao dificil se pode tornar a situacao. Dentro da propria familia divisoes destas acontecem e isto é mais grave, muito mais, do que a simples expressao de uma democracia que nos permite ter opiniao.
Sao os bastidores da guerra, e que tristeza tao grande ver o mundo entrar em panico, e os Homens odiarem-se outra vez com o mesmo instinto de superioridade confundida com auto-protecao.
Pode ser que tenhamos que aceitar medidas extremas porque nao conseguimos, nao sabemos como fazer, uma triagem entre bons e maus; mas nunca porque "eles sao todos iguais".

O sal da alma

A criatividade humana mostra o quanto alguns seres humanos podem realmente distinguir-se. Ha um italiano na ilha que faz uns peixes de adorno de paredes de espacos exteriores de casas que se querem brancas e de beira-mar.
Sao belissimos!, feitos de tudo e de apenas o que da o mar: madeiras, cordas, metais, vidros, conchas, pedras. Em todos as mesmas cores de base: o azul ceu e o branco verao.
A casa dos meus sonhos tem daqueles peixes na parede.

Das viagens quando nos curam

Estes dias serviram para fazer as pazes comigo mesma, com a Vida.
De nada serve fazermos muitos planos, travarmos grandes batalhas interiores; a importancia esta no caminhar preservando uma certa tranquilidade interior.
E nem sempre é mau que adversidades nos obriguem a mudar de rota, por vezes so assim conhecemos a nossa verdadeira capacidade.
Foi bom ter vindo porque nada paga esta calma interior que começo a sentir, este focar-me no dia de hoje e dar de todos apenas os passos que me levem a ser melhor pessoa.
E recuperar assim, a certeza maior de que amor-proprio tambem se lava, tambem se cura.

Tao, mas tao feliz

Que dia bonito o de hoje; de alguns encontros, de bons abracos, de gargalhadas e promessas de novos reencontros, de pressagios ditos com carinho de quem pede que um dia eu regresse a esta ilha.
O povoado mais charmoso e reservado, casinhas de pescadores, muito silencio, sardinhas deliciosas pescadas esta manha, primeira linha de mar, pedras ceu azul e barcos brancos, um casal de oitenta anos numa casinha branca junto ao mar. Um sol abrasador, a janela da cozinha diante da pia para lavar a loica, enfeitada com um buzio gigante, virada para o mar que canta forte porque ali se vive sobre pedras. A gente mais generosa do mundo. Criancas como peixes no mar, ali vivem ferias de verao inteiras. Um projecto de vivendas para ferias feito com carinho e detalhe. A disponibilidade e a simplicidade. O brilho que tem a gente feliz e a bondade genuina. O valor incalculavel de ver netos crescer, andar descalco, dormir a sesta, pescar e ter uma janela virada ao mar; na casa mais humilde e bonita do mundo.
Sumarenta fatia do Paraiso.

domingo, 26 de junho de 2016

Do presidente dos afectos

Nao foi isso que me convenceu no senhor Marcelo, confesso. Foi uma reportagem publicada na integra numa revista de tiragem semanal ha relativamente pouco tempo. Em tres paginas falava-se nos habitos de um homem que me pareceu convenientemente conservador e suficientemente positivo.
Sabia que na hora H, esse conservadorismo nos salvaria de muita ideia tola. Alto e para o baile, que o senhor Marcelo ja veio dizer que aqui nao se vai promover referendo nenhum (sobre o Brexit e os devaneios de Portugal). Gostei.

A votos em Espanha

Esta tudo errado na politica actual dos paises mas confesso que mantenho alguma consciencia critica e prefiro, ainda assim, dos males o menor.
Podemos nunca, que alivio.
"Querer-se é um valor absoluto, como tambem é confiar, acreditar ou comprometer-se.
Nao podes engravidar um pouco, pois nao? Se pensares sobre isso, quase todos os valores realmente importantes da vida tambem sao discretos, binarios e dicotomicos; nao admitem meios termos e nao estao feitos para gente a meias."
Risto Mejide

Querida B

Cinco anos da tua presenca nas nossas vidas.
Estas uma menina tao bela, tao forte. No colegio a professora teceu-te os maiores elogios. Na vida de casa, no dia a dia, sabemos que es uma menina que viu o pai ir embora e que ate hoje nao voltou, que viu o seu primeiro animal de estimacao morrer-lhe nos bracos (hoje falaste nele). Tao pequenina e ja te vais habituando forcosamente aos adeuses da vida. Se a tia pudesse escrevia-te uma historia nova, acredita.
Sem que o que viveste seja desculpa para nada, hoje percebi em ti um comportamento que me entristeceu. Estavas com as outras criancas na tua festa de aniversario - que foi uma festa tao bonita amor, um dia vais saber que a tua mae e os teus tios nunca na vida tiveram uma festinha assim - e vi em ti uma menina tao invejosa.
A inveja sera dos aspectos mais feios no caracter humano, todas as pessoas mas deste mundo sao invejosas. Nao tens esses exemplos aqui na casa dos avos, nao me lembro de quando eramos miudos termos sido assim, nao sei de onde te vem isso.
Nao, nao se trata de coisa de miudos, que passa. Eras tu ja Pessoa e isso chocou-me.
Nunca quis verdadeiramente ter filhos, e continuo a nao querer. So um amor maior do que a vida me faria repensa-lo, e hoje minha querida a tia nao acredita mais que existam amores assim tao grandes.
Portanto tu es o melhor de mim. As vezes finges que te enganas e chamas-me de mae, e eu respondo-te sempre que nao es minha filha mas que se um dia eu tivesse uma, gostava que fosse como tu.
A historia da tua avo daria um verdadeiro drama se algum dia fosse contada ao mundo. Tu es o fim de muitas dores, o comeco de novas esperancas.
Nao quero que sejas a mais inteligente, a mais bonita; so quero que sejas uma boa pessoa.

sábado, 25 de junho de 2016

Dos homens interessantes por quem nao nos apaixonamos

Abraçou-me como quem colhe uma menina em braços. Bebemos uma cerveja, rimos, falamos de setembro.
Um perfeito cavalheiro, uma boa companhia para grandes conversas.
Um dia, quando ja nao me lembrar de muitas coisas, vou casar com alguem assim.

Pequenos prazeres da vida

Ver um jogo de futebol com o pai enquanto bebemos um Ballantines velho.
A casa da mae cheia de baloes porque amanha a nossa mirim cumpre cinco anos.

Da manta de retalhos

Apesar de compreender a posicao dos ingleses, gostava muito que a Europa conseguisse manter-se unida e coesa. Esta tudo tao incerto, tao preocupante. Milhares de vidas em suspenso, o futuro tao imprevisivel e a memoria da ultima guerra mundial ainda tao recente. Muita gente a querer ganhar muito dinheiro. A Historia da Humanidade feita de piramides; pessoas atropelam-se para chegar ao topo. A urgencia em vencer monstros novos, e o despertar de outros velhos que dormiam sossegados.
Os paises nao estao unidos porque sao amigos, deixaram de estar unidos para ser fortes, mantem-se unidos para nao ir ao fundo. Todos querem comecar qualquer coisa nova que ninguem sabe muito bem no que pode resultar.
Ha lugares dos quais jamais se regressa, outros aos quais jamais se regressa.
Noites inteiras sem dormir, tanto calor acaba por ser uma tortura. Meu gato caiu de animo entretanto, e eu nem sei se por causa deste calor doentio, se porque a vida é mesmo assim, e se vai esgotando tao naturalmente que confundimos a lassidez do fim com a respiracao calada numa tarde quente de verao.

Do blog

A liberdade de gritar escrevendo.
Aqui posso dizer sem medo que nunca mais voltarei a acreditar nas mesmas coisas.
E que algumas pessoas nao so nao existiram nunca, como nao existem mais.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Noite de S. Joao.
As fogueiras, os baloes, o cheiro a bairro em festa, entre as vozes as gargalhadas, os manjericos perfumados, a folia junto ao rio, o fogo de artificio, o banho de mar, os martelinhos e as marteladas, pobres e ricos toda a gente na rua.
Alguem disse certa vez que assim deveria ser o natal no mundo inteiro.

terça-feira, 21 de junho de 2016

Nas ilhas o azul abraca-nos de maneira diferente. Vem do ceu e do mar e adentra-se em nos e pinta-nos de azul o ano inteiro. So as pessoas que moram numa ilha sabem do que falo.
A sorte incrivel de chegar numa semana de lua cheia. Um calor torrido. As palmeiras. O impacto chocante de ver o meu gato que de um pequeno leao virou um meio quilo de fragilidade; mas em apenas dois dias ver que melhorou consideravelmente e confirmar o imenso poder do que nos une. A beleza tremenda da minha sobrinha, as saudades tao grandes que sentimos uma da outra, os abracos constantes que damos em silencio.
A casa da mae. Vestir-me de branco. A praia na porta de casa, o ruido do mar enquanto adormeco.
Em cinco meses tudo aqui continua exactamente igual, a mesma tranquilidade, a mesma alegria diaria, a leveza; nao sei se havera tanta paz em algum outro lugar no mundo.
Saber que uma janela do meu coracao, aberta de par em par, estara sempre virada para esta ilha. Mas sentir que na cidade esta a minha casa no mundo.
Esta tudo bem quando sabemos onde pertencemos.

sábado, 18 de junho de 2016

O sal da Vida

Uma noite sem dormir. Um exame que correu bem. Um dia de formação intensa e interessante. Uma viagem. Cheiro a sardinhas e pimentos assados, my dear St. John. Aquele amor maior na pessoa da minha little mermaid que vou abraçar e beijar tanto amanha. O ronronar do meu loiro. O cheiro da minha mãe, as comidas dela. Goiabas. Mar inteiro. Caminhadas. Sol que ilumina a alma. Nivea. Rir com as minha irmãs. Um martini com o pai. Uma cerveja fresca com os amigos, falar castelhano. Pele de verão. Novas fotografias. Pes descalços. Abraços, sorrisos. Gelados. O cume das montanhas nuas. Silencio. Africa no vento. Amanheceres.
(...)

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Pequenos sinais de luz, esperanças pequeninas.
Tudo esta bem, tudo acontece exactamente como deve acontecer. So tropeçamos na mesma pedra porque ainda nao aprendemos a lição.
Amor a rodos, e tudo se cura.

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Boas energias

De súbito, uma vontade enorme de fazer uma viagem de trem.
Sozinha.

Flash


Flash


 Choose Happiness
Por causa dos dez dias que vou estar na ilha, por causa da luz daquele lugar no mundo, minha vontade sincera de fotografar hoje levantou da cama comigo.
Ha meses que eu nao sentia assim.

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Querido cavaleiro andante

D. Quixote nao faz constar nas suas aventuras que princesas sejam abandonadas por cavaleiros andantes de verdade.
Tudo hão-de ser moinhos de vento, pela vida fora...

Hakuna Matata

Nao costumo desistir do que realmente quero quando o fim parece evidente. Costumo, por norma, dar um passinho mais adiante. So por teimosia, por ver se explode, por canseira, por fastidiar o fim, por ver se na curva da certo. Torno-me insuportável.
Mas depois vem um dia como o de hoje e tenho a certeza de que no momento em que vejo claramente o fim e o aceito, recupero a minha paz.
E parto para novos começos, novos dias, novas pessoas, novas historias, outros fins.

terça-feira, 14 de junho de 2016

O instante em que tudo muda

Em que tudo muda para sempre.
E damos-nos conta disso as quatro da tarde de um dia como hoje, em que ate me levantei da cama alegre e decidi sair para cortar o cabelo.
De repente aquele instante de dor mortal, em que te amparas no sitio do caminho onde te encontras, e fechas os olhos e achas que nao vais aguentar aquilo.
Ficas ali a respirar de mansinho, a rever os teus erros como balas a entrar. Conceitos que nao soubeste ainda aprender: da paciencia, do perdão, do silencio, do equilibrio emocional, da gratidão.
O momento em que parimos o monstro que somos.

Depois vais a geleira e bebes um copo de agua porque precisas de oxigênio, aproximaste da janela e ficas a olhar um avião que passa la longe.
Tudo esta bem, tudo acontece exactamente como deve acontecer.
Amanha arrumas um bocadinho mais o que sentes, aprendes de novo os teus limites, descobres que dentro de ti o amor e a paz sao invencíveis.

Se nao aprendemos a bem, aprendemos a mal.

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Salgar a coisa não, por favor

Gosto do optimismo na Política, confesso. Alias, optimismo igual a sal da vida. Mas todo o tempo, a tempo inteiro, com frases de líder de igreja dos novos tempos, foge ao optimismo inteligente e sobrio que faz falta a um pais bastante desorganizado. Tal como o tenho visto nos últimos dias, torna-se como o "sorriso permanente" tão característico da doença de Angelman, algo que so mesmo nessa doença se torna compreensível e suportável.
Por isso vejo o Obama como um líder carismático impar. Sentido de humor mas sem cair no ridículo. Definitivamente não é para todos. Alias, na vida real dos comuns mortais, é tão grave estar deprimido a tempo inteiro como nesse estado de optimismo permanente.
De tudo, nem pouco nem muito; de toda uma vida.

E que conste que eu de Política nao percebo rigorosamente nada.

Sobre o milagre da alegria do reencontro

Meu gato está doido. Ele rasga cadeiras e sofás, salta por cima de quem dorme como se fosse o batman, come gelados e exige mimos. Num arrebato de energia apoderou-se completamente da casa e das pessoas. Minha mãe nao acredita que é o mesmo bicho que na semana passada perdia sangue pelo nariz, se alimentava por seringa e que o veterinario dizia para pensarmos em sacrificar.
Será que ele sabe que eu chego dentro de cinco dias?

Ela gostava tanto de palavras; ele ofereceu-lhe uma caneta para as por no papel

domingo, 12 de junho de 2016

Existem pessoas que passam pelas nossas vidas para nos encher de luz e de amor. Existem outras que trazem lições. Algumas fazem-nos rir, outras fazem-nos chorar.
Alem dessas pessoas todas com quem cruzamos no dia a dia, existe um tipo de pessoa-sombra. As pessoas-sombra sao pessoas capazes das maiores falacias para conseguirem o que querem, e muitas vezes o que querem nao vai alem de um mero capricho. Normalmente essas pessoas conseguem lugares de destaque a nivel profissional. Aparentam valentia mas costumam ser covardes. Sao excepcionalmente pacientes. Se eventualmente cruzarem connosco e decidirem que querem algo de nos, elas vão acompanhar-nos feito a nossa sombra, ate conseguir. Elas vivem disso, de conseguir; elas conseguem tudo.
Nao sei realmente o que procuram essas pessoas, mas suspeito que sao feitas de um enorme vazio.
Eu ja tive duas pessoas-sombra dentro do meu coração, nao queria encontrar mais nenhuma pelo resto da minha vida inteira.

sábado, 11 de junho de 2016

Hoje a minha vizinha, uma senhora com mais de oitenta anos, viuva recentemente, pediu-me que a acompanhasse a ver na televisão o Trooping the colour nas cerimonias do 90 aniversario da rainha inglesa. Confesso que nao estava nada interessada, logo eu que passo dias sem ligar a televisão. Mas dadas as circunstancias, decidi fazer-lhe um pouco de companhia. Acabou por ser interessante, adorei ver a rainha de verde alface.
Entretanto a minha vizinha depois de um suspiro, la acabou por tocar no tema:
"Sabe, a rainha será uma grande mulher porque com certeza tem ali um grande companheiro. Eu sei bem o que isso significa. Foram 57 anos de paz..."

57 anos de paz.

Flash

  




   



     

A magia dos lugares
Dentro de oito dias vou visitar a familia. O colo e a comida da minha mãe, o cheiro e o riso bom da minha sobrinha (dormir com ela!), e quem sabe a sorte maior de ainda brincar ao sol com o meu gato. Tomar banho de mar, fazer longas caminhadas por lugares meus, rir com as minhas irmãs, encher-me do vento e do silencio da minha ilha.
Ficar por dez dias, encher-me de luz de amor e de mar.

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Estive a falar com os pais agora a noite.
O G. comeu, pouquinho e de forma quase milagrosa, mas comeu. E abana a cauda. Para mim, enquanto um gato abana a cauda, tem vitalidade.
Decidi que na segunda-feira, se ele continuar a comer, se ele se tiver mantido estável durante o fim de semana, ninguém o vai levar a lado nenhum.
Se entrar em sofrimento, sim. Mas teremos esgotado todas as possibilidades.
O meu gato quer viver, e eu quero que ele viva.

Flash


"Importa muito, importa tudo, se nos aborrecemos ou nao com o nosso semelhante, porque viemos ao mundo para unir e nao para separar."
Agostinho da Silva, Sete cartas a um jovem filosofo, pag.64

Resiliencia

Depois do tempo de ver sangrar velhas feridas, de beijar a cicatriz de cada uma delas e ficar em paz com a minha historia, depois de pedir perdão e aceitar o silencio, depois da angustia do compasso da espera, de por fim aceitar a perda; agradecer tudo. Os dias bons, e os dias maus; todos foram aprendizagem.
Perceber que ninguém fica sem querer, ninguém perdoa se o coração nao esta disponível. E que isso nao é um erro, ou uma falha do outro; é apenas uma circunstancia que devemos aceitar.
Estes estão a ser os dias mais terríveis: sem trabalho, sem perspectivas, a ver de frente o risco serio de perder a especialização que foi uma aposta muito grande de minha parte, sem saber se vou para a esquerda ou vou para a direita; e ao mesmo tempo como quem faz um malabarismo com laranjas, a tentar focar-me em muitas historias de sucesso, de gente que luta contra as maiores adversidades, de sorrisos. Procurar por mim num passeio a tarde no parque, tentar dar-me a mim mesma uma palmadinha nas costas, ou um pontapé no traseiro em direção ao caminho. Sem tristezas, sem lamentos.

Foi sempre isso que eu idealizei em alguém com quem pudesse um dia partilhar a vida: que ficasse ao meu lado, fossem quais fossem as circunstancias; mesmo que entre nos pudesse haver uma oceano ou quarenta países. De resto pensar que o Amor se constrói, nao é uma estrela cadente. E que começos difíceis so sao fins se nao houver sentimento, e se nao ha sentimento, nao ha nada para lamentar.

E depois o meu gato. O meu grande amigo que hoje voltou para casa. Um fim de semana para se despedir da familia, e eu nao vou estar. Pedi a mãe para por uma peça de roupa minha na cama dele, é a única forma que tenho de lhe dizer que estou perto; e estou, e estamos (ainda esta noite o ouvi miar na escuridão do meu quarto). Segunda-feira será o dia. Deixa-lo partir, cumpriu de forma exemplar a missão de companheiro e amigo.

Tudo falha ao mesmo tempo, tudo parece dar errado. Nao esquecer que algumas vezes la atras, Deus escreveu certo por linhas tortas. Quem sabe o que resultara destes dias tão difíceis.

Lembro-me de ter pensado muitas vezes neste momento, que ele chegaria.

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Os Amigos

Nem sabe da missa a metade, mas ligou-me.
Ficamos uma hora ao telefone, e fez-me rir.
Lembrou-me do prazer de beber uma simples limonada fresca no verão. E perante a minha derrota lembrou-me que o pai dele, com cinquenta anos e seis filhos, teve um dia que recomeçar do zero.
E conseguiu.

terça-feira, 7 de junho de 2016

Flash


  Life made by Hope
O meu gato voltou a ser internado hoje.
Sabemos do que se trata, sabemos que são os últimos momentos dele.
Tento ser paciente com estes dias tão difíceis. Mas preciso de colo, de abraço; tenho vontade de correr para os braços da minha mãe.
Vejo um avião passar e estremeço. E acho a coisa mais linda, essa gente que vai la dentro a caminho de.
(...)

Flash

Profundas saudades da ilha
"O amor é paciente e benigno, não arde em ciúmes; o amor não se ufana, não se ensoberbece; O amor não é rude nem egoísta, não se exaspera e não se ressente do mal. O amor não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade. Está sempre pronto para perdoar, crer, esperar e suportar o que vier."

Segunda Epistola de S. Paulo aos Corintios

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Flash


"É isso aí 
Um vendedor de flores 
Ensinar seus filhos a escolher seus amores.
(...)"
Ana Carolina

Mudar a perspectiva

Parar de centrar-me no outro e centrar-me em mim. Perceber de onde vem a angustia; ficar de frente - cara a cara - comigo mesma. Descobrir que as vezes ocultamos um problema para fingirmos que ele ja não existe; e quando isso acontece durante anos a fio, chegamos a acreditar que o problema esta superado. Mas não esta. Na primeira grande oportunidade a ferida abre e sangra, e grita.
Então fazemos e dizemos coisas que ninguém vai entender. Magoamos quem mais amamos, porque é preciso culpar alguém por aquela dor que não aceitamos como nossa. Nem nos reconhecemos.
Mais dia menos dia este dia ia chegar, devo compreender que era preciso que este dia chegasse.
Olhar-me desde fora e pela primeira vez, assumir que preciso de resolver isto.
E so depois, com a humildade dos pequeninos, aprender de novo a ser feliz.

Do nosso mundo

De uma guerra com 470 mil vitimas em cinco anos:
"Tudo começou quando, a 17 de dezembro de 2010, Mohamed Bouazizi, um vendedor ambulante de 26 anos que sustentava a família e sonhava ter um camião, regou-se com gasolina e acendeu um isqueiro. Sem pai desde os três anos, Mohamed vendia fruta e legumes num mercado de rua na cidade de Sidi Bouzied, na Tunísia. Era procurado muitas vezes pela polícia municipal, que lhe exigia dinheiro por não ter uma licença que nem sequer existia. Era ameaçado e humilhado. Aguentou sempre, com uma calma surpreendente, menos naquele dia. Morreu ao fim de duas semanas. Mohamed Bouazizi, disse Barack Obama mais tarde, fora vítima do mesmo “tipo de humilhação a que se assiste todos os dias em muitas partes do mundo” quando “os governos tiranos negam aos seus cidadãos o direito à dignidade”. 
O incidente desencadeou manifestações contra o regime ditatorial de Ben Ali por todo o país, tendo o presidente tunisino sido deposto pouco tempo depois. Da Tunísia, os protestos estenderam-se à Líbia, Egito, Síria, Bahrain e Iémen, embora sem o mesmo efeito. Na Síria, as primeiras manifestações em defesa da democracia ocorreram em Dara, no sudoeste, em janeiro de 2011, e alastraram depois a algumas das principais cidades do país. Receando perder o controlo sob a população, o presidente Bashar al-Assad ordenou a supressão da revolução e as ruas transformaram-se num campo de batalha sangrento."
Expresso Internacional

sábado, 4 de junho de 2016

Fotografia de casal

Atravessar com um homem países sem saber quais são. Caminhar com ele pela linha férrea. Juntos com fome, com sono, com medo. Juntos, horas e horas em silencio.
Juntos.
(...)

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Pode ser-se feliz por dois dias, por quatro dias, para a vida inteira?
Pode.
Ha sentimentos tão grandes, que nos ficam para sempre. Sao como o nosso colete salva-vidas dali por diante.
(...)

quarta-feira, 1 de junho de 2016

O meu gato

A minha pessoa com olhos de fogo. A minha alminha companheira de todas as vidas. O meu menino amarelo.
(...)

Flash

Lost