domingo, 24 de abril de 2016

Depois vejo as imagens dos refugiados, a caminhar sobre linhas de caminhos de ferro, com crianças as costas, sem ter sequer uma casa onde chegar. E pergunto-me o que tem de comum estas pessoas com quem chega a casa de umas ferias nas Maldivas.
Sao tantas historias tristes que morrem-me as palavras antes de argumentar.
Deve ser por isso que não me sinto em paz em nenhum lugar do mundo. A paz carrego-a dentro de mim, fora ja não a encontro.

Sem comentários:

Enviar um comentário