terça-feira, 15 de março de 2016

O senhor Antonio

Tao parecido com o Nicolau Breyner. Trabalha na confeitaria ha mais de vinte e quatro anos, diz ele que tem mais de dois mil domingos de trabalho no lombo. Conheço-o ali, sempre com a mesma postura, ha uns quinze anos. Amável, especialmente alegre, dedicado. Foi uma das pessoas de quem senti falta durante os oito anos que vivi fora de Portugal. Voltei e nada mudou, o senhor Antonio continua com o mesmo brilho próprio. Ele tem pouca altura mas eu vejo-o tao grande, as vezes vou a confeitaria, peco um cafe com leite, e fico so ali sentada a observa-lo trabalhar.
Tao bom haver pessoas assim no nosso mundo...

Sem comentários:

Enviar um comentário