quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Dias muito dificeis

O pai esta internado. Vi-o nos bracos da morte, ca em casa, a nossa frente. Os gritos de desespero dele ainda os escuto pela casa, um medo e um frio que me entraram nos ossos e nao passam. Tanta tristeza, tanta dor... A mae diz que so lhe cheira a sangue. No hospital ficam os dois de olhos postos um no outro, num silencio longo; uma coisa que magoa.
As nossas vidas pararam.

Sem comentários:

Enviar um comentário