domingo, 13 de dezembro de 2015

Nunca me lembrei de pedir isso, nunca em nenhum dos natais dos meus trinta e seis anos vividos pedi ao fantastico pai natal que os meus pais nunca adoecessem. Penso que algures na magia fiquei pequenina para sempre e acreditei profundamente que eles eram eternos.
2015 foi um ano duro, de muita luta, de muita pressao e que termina cheio de novidades e decisoes que mudaram a nossa vida - acreditamos sempre que para melhor. Excepto o que aconteceu esta semana e que, pela primeira vez na vida me faz desejar para este natal e para todos os outros que eu viva, que eles - os meus pais - vivam tambem.
Natal é a gente que nos mora do lado de dentro, sao as nossas pessoas; sem elas nao ha luzes nem magia.

Sem comentários:

Enviar um comentário