quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Despedi-me das minhas plantas de grande porte, as guardiãs la de casa. Ofereci-as a um casal com terreno suficiente para que a oliveira que trouxe de Portugal - que cresceu tanto! - continue a crescer saudavel e feliz e por fim possa lançar raizes a terra sem limites. Costumo regar as plantas as quintas-feiras, manias minhas que se converteram em habitos delas. Pedi-lhes que amanha lhes dessem a beber um bocadinho de agua, ao que a rapariga dirigindo-se ao namorado, comentou: Teras que tratar tu delas que ja sabes que eu nao gosto de plantas. Percebi imediatamente que nao so vao sentir a minha falta como nao vao ser tao felizes como eu esperava.
Nao sou apegada às coisas; mas aos bichos, às plantas e às pessoas, sim.

Sem comentários:

Enviar um comentário