quarta-feira, 29 de julho de 2015

Ler coisas assim

«Quando nada mais resulta, vai. Vai ao encontro da natureza, de Deus, de ti própria, apenas vai. De que vale insistir no que a lado algum nos leva, de que vale ficar a medir forças, atirar palavras, dizer o que já foi tantas vezes dito. Vai, chora o que tens a chorar, arruma as frustrações e as expetativas [já sabes que não deves cultivar expetativas], vai e senta-te na rocha com os pés no mar. Ouve as gaivotas, o vento que te bate na cara, a ronca do farol ao longe. Regressa a Carreço ou a outro lugar onde tenhas sido muito feliz. Lembra-te dos cheiros: das dunas mesmo em frente à varanda, da salsa que colhias do muro da estrada, do armário do corredor onde a mãe guardava as bolachas. E depois pensa numa coisa boa, anda, faz esse esforço. Escuta o vento que te bate na cara, o barulho das gaivotas, a ronca do farol lá ao longe. E concilia-te. Contigo própria e com a possibilidade do silêncio. Não se encontra o que se procura.» 
Ana Peixoto de Almeida
(tive a sorte de encontrar este texto partilhado hoje no as nove no meu blogue)

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Os tres melhores vinhos que bebi, de que tenha memoria, foram vinhos sem rotulo, vinhos de lavrador. Um em Ponte de Lima, um em Paredes e o terceiro ontem, um vinho ecologico de Lanzarote.
A pessoa que me acompanhava nas diferentes situacoes coincidiu na opiniao de que estavamos perante um vinho excelencia.
Vinhos e livros, vivo a experiencia.

Bem vindo ao mundo, pequeno Principe

Faz em Setembro proximo, dezoito anos que ouvi falar de ti a pimeira vez.
A tua mae é muito bonita, tem uns olhos grandes e é silenciosa como costumam ser as gatinhas domesticadas para serem a alma de uma familia inteira. Conheci-a no nosso primeiro ano na faculdade, logo me disse que tinha um sonho grande: ser mae. Pensei para com os meus botoes como seria possivel que uma miuda daquela idade, da minha idade, tivesse um sonho desses de gente grande e feita na vida. Eramos umas miudas, eu sei.
Os anos foram passando e dias bons e dias maus foram vividos, ficamos perto dos quarenta e alguma vez ela esmoreceu. Mas os sonhos sao para cumprir e hoje chegaste ao mundo, um mundo onde tanta gente cheia de Amor te espera.
Sabes uma coisa querido J, acho que desde aquela conversa tambem eu esperei por ti, todos estes anos. Se calhar so para ter a certeza de que sim, de que os sonhos se cumprem mesmo.
Que tragas uma alma cheia de luz; que o mundo seja um lugar melhor para ti.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Querida Mãe

Aos quase quarenta anos, continuas a dar-me lições que ficam para a vida inteira.
Obrigado por seres tão grande exemplo (o maior de todos).

Do altar da Vida

Faz parte do verbo crescer. As decepcoes mais grandes serao tambem com as pessoas mais grandes.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Cuidar, assim...

Flash

Peques jugando en la playa

Dois dias assim, tao inteiros, tao de janelas abertas. Sem gargalhadas mas cheios de luz. Dormir oito horas seguidas e despertar por mim, desligar os telefones, pensar nas possibilidades com vontade de me meter por algum caminho. Ver estes miudos demanha cedo a chegar a praia - todos os dias que dura o Verao - cheios da riqueza mais grande que ha no mundo: tempo e alegria. 
(...) 

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Dias assim, em que apelamos a todos os deuses, em que precisamos de todas as rezas e banhos de mar. Ontem senti o meu coração apagar e nem fiquei desesperada. Fecho os olhos e sem saber como é, sinto-me no meio de uma dança africana, uma dessas danças em que todo mundo parece ser apenas espírito. Quero voar.
Sobrevivo.

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Flash


 "Eu nao vivo no passado. O passado vive em mim."
   Paulinho da Viola

terça-feira, 14 de julho de 2015

Hora certa

Como quando caem as primeiras folhas de outono, ou canta o galo ao nascer o dia. Como o abrir lento de olhos de um gato com sono. Como uma criança a brincar em pocinhas de chuva. Como quando fazemos uma oraçao em silencio e sabemos com certeza que vamos ser atendidos. Como cumprir aniversario, como a noite de 31 de dezembro.
Hoje senti-me despedir de muitas coisas; pessoas, caminhos, rotinas. Como se este dia fosse o principio de algo, como se este momento estivesse escrito desde sempre, como um portao aberto e o caminho à vista.
Ja senti isto antes, ja senti isto uma vez.

domingo, 12 de julho de 2015

Bom dia Vida


Da vida quando nos quer surpreender

Uma segunda-feira e eu em casa. Resulta estranho, sabe estranho. Como se uma serie de gente se tivesse sentado a traçar um plano para construir uma casa e eu votasse contra pelos riscos demasiado elevados. Não consideraram e o que sempre foi evidente mas que só eu via, começa agora a estar à vista de todos. Eu, em casa numa segunda-feira.
Com o passar dos anos há uma coisa que tenho aprendido: a ter alguma calma interior, porque para onde quer que a vida me leve, ela sempre me vai estar a levar para o lugar certo.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

terça-feira, 7 de julho de 2015

Maria Barroso

Faz tempo mas há vivencias e pessoas que nos ficam gravadas na memória, e ela ficou. Era uma mulher com verdadeiras ideias e preocupações na área social. Organizou aquele almoço tão simpático com representantes de entidades do norte, IPSS e ONGs. Fiquei a admira-la e confesso que a partir daquele dia em que sentamos juntas à mesa e falamos das nossas preocupações comuns, deixei de a ver apenas como a esposa de Mário Soares para passar a ve-la como alguém totalmente implicado naquilo em que realmente acreditava; uma mulher forte, com caracter, atitude e sensibilidade.

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Muito bom

Bipolaridade laboral

As vezes - so as vezes - no meio de tanta luta consigo um resultado. Eh pa, fico feliz. Depois de tanto murro em ponta de faca, o buraco abre.
O mais importante serao sempre as pessoas, e todo o tempo é so isso que me importa.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Turn off

Os dias assim, em que sinto um desanimo tao grande que dentro dele cabe tudo e cabem todos, deveriam ser dias so para dormir e ler. Tenho um jantar de trabalho, tenho que ir.
Se Deus nao me envia uma razao, preferia mesmo que me retirasse de cena. Eu sei, sao coisas que nao se dizem.
(...)

quarta-feira, 1 de julho de 2015

De facto nao e assim tao importante o que nos acontece na vida e sim a nossa atitude ou postura perante o que nos acontece. Maravilhoso quando alguem realmente nobre chega a altos cargos e mantem a humildade, o trato belo aos demais, a preocupacao primeira com o ser humano. Vive uma porrada de anos, atinge o topo e morre a mesma pessoa simples de todos os dias de uma vida inteira. A pessoa de que falo, ja nao esta. Lembrar so isto: que enquanto aqui anoitece, algures o dia nasce...

Coisas boas da semana

Temos flor em casa, nasceu a primeira gardenia.