quarta-feira, 27 de maio de 2015

Um dia ponho-me a escrever

Nao vale a pena reviver amores do passado. Nao vale a pena. Basta com ficar para sempre, de alguma forma, cativa deles e eles de mim; porque com os grandes amores é assim, sempre assim, nunca de outra forma. Vivi dois amores e meio, dos bons, dos de pele; dos que de vez em quando, por puro prazer, folheio as paginas acompanhada de um vinho.
Nao vale a pena voltar a eles. Deixá-los quietos, para sempre adormecidos, devidamente amordaçados.

Sem comentários:

Enviar um comentário