domingo, 17 de maio de 2015

Seis e cinco da manhã, árabes discutem violentamente na rua, suponho que vindos da mesquita onde costumam rezar. Nunca vou conseguir compreender tanta violencia e cólera nos Homens. Assomo-me à janela, sinto tremores e algum bloqueio, desde miuda que a violência me causa pavor e me inutiliza desta maneira. Faço um xixi, bebo agua, ligo a nespresso, sirvo-me um ristretto e sento-me na cozinha em modo reparação, a ler Niebla, de Miguel de Unamuno.
Passa algum tempo, estabilizam-me os tremores, pela janela da sala entra a luz do sol. São sete e trinta, boa hora para regar as plantas.
O blogger diz que hoje é domingo dezassete de Maio (sou do tempo em que os meses do ano se escreviam com letra maiuscula) . Bom dia Vida, hoje é segunda-feira dezoito de Maio.

Sem comentários:

Enviar um comentário