terça-feira, 26 de maio de 2015

Dedicatórias

De Eugénio de Andrade:
"Aos dias de verão delapidados nas dunas,
Ao primeiro amor, um gato; desses que conservam nos olhos o perpétuo mover das águas,
Ao avô Guilherme, que afagava uma pedra como se fora uma criança, e eu não tardaria a nascer."

Sem comentários:

Enviar um comentário