quarta-feira, 8 de abril de 2015

Na caixa do supermercado

Estavamos os dois, ele na minha frente. Sujissimo. Sem inspirar muito, a mente fazia-me supor que so poderia cheirar mal. Esqueci-me disso no momento em que lhe olhei para as maos e vi a compra do dia: um cartao de vinho branco, o jornal diario e um pacote de bolachas. Vive na rua faz mais de dois anos, toda a gente no povoado sabe de quem se fala quando se diz o alemao que vive na praia. Contou as moedas que tinha, faltava-lhe um euro e sessenta e cinco centimos. A fila atras de mim ia crescendo. Olhou vagarosamente para as tres coisas - acho que em momento nenhum percebeu que havia gente atras dele - e esticou a mao com o pacote de bolachas dizendo a rapariga na caixa deixo isto. Eu sabia que o vinho ele nao ia deixar, mas no meu interior algo me dizia que o jornal tambem nao, e so por isso posso adivinhar muitas coisas sobre este homem. Paguei-lhe o pacote de bolachas. Nao disse nenhuma palavra, apenas me sorriu e os olhos brilharam humedecidos.

Sem comentários:

Enviar um comentário