domingo, 29 de março de 2015

Ao ler uma entrevista ao livreiro-gerente da livraria Lello e irmao, no Porto, dei comigo a reflectir sobre um receio que nao pensei que fosse algo tao plausivel para as pessoas do ramo: cada vez mais lemos o que outros decidem, quando eles decidem. Efectivamente penso que acontece assim. Nunca fui muito maria-vai-com-todos; nunca vi o Pirata das caraibas nem As cinquenta sombras de Grey. Quanto aos livros sempre que entro numa livraria normalmente onde menos tempo perco é nos top das vendas. Para ser sincera o que ainda me apaixona febrilmente sao os Alfarrabistas, perco as horas e adoro encontrar anotaçoes escritas ha uma porrada de anos. Mesmo agora quando estive na cidade, procurei na FNAC e na music store Tubitek um determinado album de musica e nao foi possivel encontra-lo porque tenho o azar ou a sorte de andar a ouvir musica que so se consegue por encomenda.
(...)

Sem comentários:

Enviar um comentário