quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Ultimo dia do ano

Ano velho, ainda.
Foi um ano de alguma luta interior, de pouco ou nenhum avanço em algumas areas importantes a nivel pessoal, mas mesmo assim um ano de algum crescimento porque quando a vida estagna tambem nos da grandes liçoes. O mais importante é que todos os meus amigos estao vivos, os meus pais estao vivos e vou estar com eles em mais uma passagem de ano, os meus irmaos estao vivos, o meu gato esta velhinho mas esta vivo, a minha sobrinha nao so esta viva como esta cheia de vida, algumas crianças nasceram e novas sementinhas ja estao plantadas.
Em 2014 houve uma serie de pessoas novas na minha vida, de gente anonima, de gente desinteressada, de gente de passagem e de gente do dia a dia; algumas dessas pessoas contribuiram para a minha estabilidade geral. A minha cabeleireira, a senhora da mercearia, companheiros de trabalho, a educadora da minha sobrinha, o padeiro, a minha hematologista, os senhores da Campofrio que durante uma semana nao forneceram fiambre de peru aos supermercados e para mim foi significativo. As vezes nao pensamos nisso, nos pequenos nadas vitais, na quantidade de pessoas necessarias para que a nossa tranquilidade se produza desta forma que afinal nos permite celebrar mais um novo ano cheios de conforto: com um sapato giro, com um bom champanhe, com chamadas telefonicas sem limite, com a familia reunida, com iguarias feitas pelas maos de casa com os ingredientes mais frescos e de melhor qualidade, num pais onde ha paz, com um fogo de artifico belissimo, agasalhados do frio, com uma conta bancaria onde no dia 1 nos cai um salario. É preciso dar valor ao que temos. É importante que sejamos humildes e gratos, conscientes de que sempre vamos precisar uns dos outros.
Desejo que 2015 nos traga muita luz a todos, muito Amor ao mundo, esperança e avanço em todas as investigaçoes importantes em doenças que as vezes nem nunca ouvimos falar ou nem sabemos pronunciar correctamente o nome. Que seja um ano em que aumenta a nossa consciencia solidaria, porque o mundo precisa.
E que chegue o meu grande Amor, porque faz falta á minha vida e aos meus dias.
(...)

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Manhã de Natal com Sol

A luz. O calor. A certeza absoluta de que o Amor, so ele, pode salvar o mundo e os Homens.
Natal, salto de pardal: hoje percebi que os dias ja começaram a crescer, e que a Primavera ja desponta nos caminhos, em imensas florinhas amarelas na beira das estradas.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Flash



Querida avo, aos 36 anos por fim compreendo o que sentias todas as tantas vezes que te ouvi dizer "Quero ir morrer a casa."
Quase Natal.
Esta semana comecou cinzenta, sem nenhum brilho e com uma especial falta de paz.
(...)

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Natal

Flash



"Estas dentro de algo que esta dentro de todas as coisas."
Jose Luis Peixoto
Por cada coisa que nos assola, por cada criatura vazia e sem brilho, Deus mostra-nos uma diversidade e cor incriveis, uma beleza imponente e irresistivel nas coisas da natureza, uma alegria genuina e nobre em quem tantas vezes nao tem nem dez minutos de sol. Todos os dias o lado bom da Vida vence.
Quando me decepciono com a gente, com a alma e o brilho da gente, da gente que me rodeia, fico algum tempo com uma sensaçao de vazio ca dentro. Uma especie de luto nas minhas crenças, como se o meu amor estivesse por um tempo em periodo de convalescença. Quando damos tudo, quando damos o nosso melhor, quando acreditamos que jamais seriamos capazes de agir assim com os outros, fica dificil tolerar e compreender o caminho que segue a humanidade, esse caminho que sempre parte de mim e do outro. Ja nao é so aquela pessoa, é o mundo que entra numa vertigem. As pessoas vivem vidas de merda dentro de casa- com o perdao da palavra mas é a mais certa - sao tao ocas e tao sem brilho, tao infelizes e tao capazes de ferir gratuitamente, tao dispostas a viver vidas de plastico que se tornam elas proprias nocivas.
Esta semana - e porque é Dezembro e estamos no mes de balanço interior - aprendi ou recordei mais uma grande liçao da Vida. Em 2015 certamente serei ainda mais reservada em relaçao ao meu mundo e ás minhas pessoas.

Bom dia Vida

Os experts dizem que se todos os dias tomarmos dez minutos de sol, ficamos mais robustos fisica e psiquicamente. Foi o que fiz esta manha.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Flash


"Be present. Make love. Make tea. Avoid small talk. Embrace conversation. Buy a plant, water it. Make your bed. Make someone else's bed. Have a smart mouth and a quick wit. Run. Make art. Create. Swim in the ocean. Swim in the rain. Take chances. Ask questions. Make mistakes. Learn. Know your worth. Love fiercely. Forgive quickly. Let go of what doesn't make you happy. Grow." 
(...)

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Natal

2014

Senti pela primeira vez que estou a envelhecer. Que o tempo corre e a vida passa, e ha tanta tanta coisa que eu quero fazer...
O mundo pode bem ser um lugar melhor, todos os dias. Nao sei como se pode duvidar desta verdade maior.
A ler uma entrevista da senhora Anna Ferrer, a viuva do senhor Ferrer profundamente amado na India mais pobre, quando lhe perguntam sobre isto, se realmente o mundo pode ser um lugar melhor, ela comenta o facto de naquela localidade tao imensamente pobre as pessoas terem o costume de alguma vez no ano porem uma moeda ou duas numa caixa, uma especie de mealheiro. No dia em que cumpriria aniversario o senhor Ferrer se fosse vivo, toda a gente abre a sua caixa e juntam entre todos todas as moedas que mesmo sendo tao pobres conseguiram juntar. No ano passado juntaram duzentos mil euros. Isso mesmo, duzentos mil euros que ajudam a manter o projecto solidario daquele homem extraordinario.
Cada um de nos deveria abraçar uma causa, nao importa qual, o importante é conseguirmos participar e pode ser com apenas uma moeda, ou uma hora do nosso tempo, ou uma mensagem aos demais. Acredito que mais do que um dever, é nossa obrigação querer um mundo melhor e mais justo.

Hoje

Jantar de Natal de trabalho, de uma equipa de cerca de cem trabalhadores.
Vai ser bom podermos sorrir e partilhar num ambiente descontraido. Passamos o ano inteiro juntos, e quer queiramos quer nao, somos uma especie de uma grande familia. Cheia de ovelhas negras e miudos ranhosos, mas ainda assim, uma grande familia.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Natal

Flash





December

Flash





Flash




De quando as chuvas generosas visitam a ilha.

Natal

"Un pais no puede permitirse que la gente joven mas capacitada no tenga esperanza en el; ahora que los jovenes se vayan y trabajen fuera me parece extraordinario. (...) Otra cosa es que no tengan posibilidad de volver y que tengan que irse en condiciones dificiles. Pero el hecho de que salgan fuera, que aprendan, que se acostumbren a vivir en otros paises, eso era todo lo que yo queria hacer con su edad en mi tiempo y no podia. Con la edad de mi hijo yo tenia que estar en un cuartel en San Sebastian."
Antonio Munoz Molina, escritor nascido em 1956, premio Nacional de Literatura

O cumulo da modernidade

"Tenemos el calendario del libro, libretas del libro, el audiolibro, el DVD de la pelicula basada en el libro, pero no tenemos el libro..."
Michael Maslin, humor grafico de New Yorker

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Crazy little things

"Os computadores mais sofisticados podem ganhar-nos uma partida de xadrez, mas sao incapazes de adivinhar com a mesma precisao de um pescador, com uma simples olhadela ao ceu, o tempo que fara amanha."
Revista Pronto, Dezembro 2014

2014

"Un millon y medio de personas mayores de 65 anos pasaran solas la Navidad."
Canarias7, esta manha

Natal

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Hoje, depois de ser atendida num servico de saude, o medico - um homem arabe - despediu-se de mim dizendo-me num tom biblico Adios buena mujer. Por um segundo fui transferida para Jerusalem. Aparte as questoes culturais, nunca me tinham chamado algo tao bonito numa despedida formal.
Tenho imensas saudades do Porto. Da oferta cultural, dos bares tao in que convidam a noite, da iluminacao de Natal na Baixa, do frio e de ver chover enquanto se toma um cha aromatico em algum ponto alto da cidade, dos estudantes, das igrejas, do som da gargalhada das minhas amigas, da marginal iluminada a noite, do povo.
(...)

terça-feira, 2 de dezembro de 2014


A filha bastarda de Africa

Quatro gotas caidas do ceu, duas semanas seguidas de alguma humidade, e a ilha esta cheia de uma "penugem" verdejante. Um verde fresco, vivo, juvenil, que nos faz adivinhar o quanto esta terra é fertil.
Alem do verde, devido as chuvas numa ilha de sol, parece ter chegado a estação dos arco-iris. Todos os dias vejo um; costumam ser gigantes, de cores intensas. E as pequenas lagoas ao sol trazem libelinhas, e porque a terra agradecida tem memoria eu suspeito que por causa destas chuvas generosas a proxima Primavera vai chegar mais cedo.

Flash




"Poucas pessoas percebem essa mensagem do Outono, quando ele varre de frio as ruas da cidade e empurra todo o calor do mundo para dentro de cada casa."
 Blog nao compreendo as mulheres
Mal entrado o ultimo mes do ano e percebo o quanto as pessoas ficam mais pensativas a partir do instante em que passamos a contar Dezembro. Exclamam dando-se conta da efemeridade da vida Como passou depressa o ano! Corremos tanto, todo o tempo, e de repente que nostalgia chegar.