sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Respirar. Nao medir o espanto e a alegria. Ser objectiva, usar a minha matematica querida para as contas da vida baterem certo. Pensar no futuro mas concentrar-me apenas nos passos exactos do presente; sao esses que me levarao a algum lugar. Ficar cansada e saber que nao poderia ser de outra maneira, olhar para o guiao e sentir que as cenas mais duras ainda nao foram rodadas. Acreditar na minha luz propria, sempre. Na vida real nao existem duplos.
E depois gostar de mim. Sentir-me orgulhosa por mais uma vez, sete anos depois, ser ainda tao valente, tao corajosa: sentar-me de frente para a Vida, olhar-la fundo nos olhos e dizer sem falsas modestias quero mais.

Querido Deus imensamente generoso comigo, Obrigado.

Sem comentários:

Enviar um comentário