quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Os incansaveis

Os meus pais. Ele carpinteiro e ela costureira. Ele sempre de cabeca ausente, como se vivesse noutro planeta o que lhe atribui uma calma invejavel. Ela tao elegante como a Audrey Hepburn, mas de maos grossas moldadas por anos de trabalho. Ha tanta sabedoria neles, na forma como se mantem juntos, na forma como nos educam e nos repreendem, na forma como nunca param de planear e empreender, na forma como nunca se cansam dos nossos erros ja de homens e mulheres adultas, na forma como de cabeca levantada saem todos os dias para trabalhar num mundo cada vez mais dificil, na forma como vencem obstaculos e na forma facil como desfrutam da Vida. A minha mae diz-nos que estamos gordas sem rodeios, e o meu pai compreende tudo - mesmo tudo - o que quisermos conversar com ele. Nao soltam as redeas da vida nem mesmo quando dormem, sobretudo a minha mae.
Somos quatro, agora tambem uma neta. A pequena tem deles o ceu e as estrelas, todas contadas.
Temos uma historia, como todas as familias, feita tambem de brigas e de lagrimas. Mas os lacos sao de ferro, indestrutiveis. Muitas vezes tenho medo do dia em que eles ja nao estarao, medo de que nao sejamos suficientemente fortes para manter todo este imperio emocional.
Nunca conhecerei outro Amor mais grande.

Sem comentários:

Enviar um comentário