sexta-feira, 26 de setembro de 2014

"Hoje proponho acabar com o dinheiro. Acabar. De uma vez. Sem hesitar. Acabar. Matá-lo. A tiro, a fogo, à faca, ao lixo. Dizimá-lo. Hoje proponho substituir o dinheiro por poemas. E uma quadra valeria um quilo de arroz, e um soneto valeria uma refeição completa. E eu dava um verso e recebia uma garrafa de água, e tu davas-me uma metáfora e eu oferecia-te um litro de leite. E era tão mais simples. Acabar com o dinheiro. E substitui-lo por poemas. E os mais poderosos seriam os mais poetas. E a Bolsa seria uma escola, e a casa da moeda seria a casa da poesia. E Portugal seria o que nunca deveria ter deixado de ser: um pais de poetas."

Pedro Chagas Freitas
in "SÓ OS FEIOS É QUE SÃO FIÉIS"

1 comentário: