terça-feira, 28 de março de 2017

Flash



Muitas saudades da ilha.
De ficar grande dentro das cores, dentro do silencio.
Do vento, do mar, das montanhas, das manhãs.

Cabelos desgrenhados da semana

Descobri que o LinkedIn é uma ferramenta poderosa a nivel profissional.
O M planeia fazer o caminho de Santiago comigo. O M esta internado com ruptura do fémur, tem cancro nos ossos. Quanto amor pela vida, que comovedor encontrar gente que sente assim.
Tenho mantido uma relação cordial com a cozinha, ja sei fazer panquecas.
Ha gente na coreia do Sul que le este blog.
(...)

Dos laços que nos enfeitam por dentro

Hoje avistei da janela da marquise um gatinho bebe num telhado de zinco. Quanta ternura. Começam a aparecer novas ninhadas do cio profícuo do inicio do ano.
(...)
Sensação de estar inteira. De encontrar alguma paz. De saber que o caminho era para ser assim.
Complicamos tanto a vida, e tantas vezes basta apenas com vive-la.
Um dia partimos das pessoas e dos lugares, e parece doer tanto.
Um dia chegamos e ficamos como que sentados na sombrinha a descansar e a contemplar a imensidão imensa da Vida. Aquela - so aquela - é a nossa paisagem. Ali encaixamos, ali somos.
(...)
Esta semana ganhei flores e ofereci flores. Nao era meu aniversario, nao foi aniversario de ninguém.
Tao bom ser assim.
(...)
Eu sou e serei sempre da cidade, desta minha cidade. Mas eu sou também da ilha, e eu sou de Africa.
Ando cheia de saudades do mar azul, do céu aberto iluminado, das roupas leves, dos pes descalços. Que falta dos cumes das montanhas adormecidos em dias de calor tórrido.
(...)

quarta-feira, 15 de março de 2017

Bom dia Vida

Regresso ao trabalho.
Sao estas as pequeninas coisas que ja conquistei; ter podido ficar uns dias em casa a descansar, voltar com animo, sentir-me grata por tudo o que tenho e pelas oportunidades que a vida me destina.
Este sossego interior também tem dias de verdadeira tempestade, mas de que nos serve zangarmos-nos com a vida e com os seus propósitos maiores.
(...)

domingo, 12 de março de 2017

Sobre viagens

No outro dia no parque senti um cheiro a sapatos novos. Nao aos sapatos novos de agora mas sim dos sapatos novos de quando eu era menina. Um cheiro genuinamente bom, que eu ja nem lembrava que existia.
Mas ali so tinha terra e bicho e flor.
(...)

sábado, 11 de março de 2017

Apetecem-me cerejas. Usar vestidos leves. Molhar os pes no mar.
(...)

Flash



Da beleza

Flash

 La ao fundo, na sombra das arvores, um grupo de jovens sentados em circulo riem alto.

 Dois velhos sentados naquele banco. De quando o amor fica maior.

Um rapaz sentado no meio das flores, confundido entre as arvores; sem camisola, a ler um livro.
Por falar no amor de Napoleão e Josefina, caem-me os olhos por este anel.
Pela simplicidade, pela Historia.

Destiny (#)

Para entrar na nossa vida de verdade, um grande amor deve ser como os raios de sol que me entram pela persiana do quarto nas manhãs de sol. Como a agua quando corre e destrói barreiras, como a poeira fininha que nos entra em casa mesmo quando temos tudo fechado. Como a sede numa tarde de verão, como o silencio e a densidade do nevoeiro matinal. Como a calma das madrugadas e a urgencia com que cantam as primeiras aves que chegam com a Primavera. Como a morte certa, como o arduo trabalho diario do coração que nos mantém vivos.
(...)

(#) Foi a palavra com que Napoleão Bonaparte um dia presenteou a sua Josefina, gravando-a numa pulseira. 

Da seleção natural

Tenho observado na natureza que nao adianta grande preocupação. Nos simples vasinhos ca de casa, nos quatro limoeiros e duas cerejeiras do vizinho de baixo, nas vozes que falam da seca, nos campos cultivados nestes quatro dias de sol, e na chuva e frio e geada que ainda esta por vir (eu ate ja tinha guardado as botas). Nao faz mal. Cai, seca, murcha, minga, e rebenta de novo.
Com gente acontece igual. Quem entra e quem sai da nossa vida, quem fica; tudo acontece tão naturalmente que da vontade de rir quando viramos diabos e cansamos a nossa beleza com queixumes do caracter alheio.
A cada segunda tudo muda, a nossa própria perspectiva, a nossa forma de sentir. Nem sempre a vida esta pautada apenas por decisões, quase sempre basta apenas vivermos. Nao de uma forma banal, como quem se deixa viver so porque nao tem mais nada para fazer. Digo viver como quem nasce todos os dias.
Ontem a observar os miúdos no parque, a forma destemida como trepavam arvores, saltavam as pedras, a forma fácil como conversavam com outros miúdos desconhecidos, como jogavam a bola como se se conhecessem ha muitas vidas, a forma tola como corriam para os patos e gansos encrespados, a forma carinhosa como as vezes davam a mão ou transformavam o colo numa bela oportunidade para um abraço fundo, a forma simples como sorriam ou catavam flores. Nao era so uma tarde de Março cheia de sol, era mais. Era uma tarde imensa de um dia grande, num parque gigantesco, cheio de aventura. Eu nao sei quando e como fomos ficando pequeninos na nossa adultez. Mas basta observar os miúdos para perceber que algures nos diminuiu desastrosamente essa capacidade quase magica de viver cada dia intensamente. Putos marados, parece que estão sempre a viver o ultimo dia da vida, nao ha explicação.
Ha alguns adultos e idosos assim. Sao muito poucos, sao quase uns duendes mágicos, uns desfasados da realidade, sao adultos-mirins, sao Peter-pan, sao Alices no pais das maravilhas.
Eu sei la, mais vale ser alegre do que ser triste, como diz a canção. Ainda acho que esses, os simples os justos e os pequeninos, sao mesmo os mais fortes que ca andam.
(...)

quinta-feira, 9 de março de 2017

Tenho observado nas ultimas madrugadas, um canto impressionante de passarinhos. Nao preciso de me assomar ás terrazas; desde o meu sofá, ás quatro da madrugada, consigo escutá-los.
Cantam na escuridão como se houvesse sol.
(...)

Flash


Eu nao precisei de ser uma mulher rica para ter os chorões e as orquídeas selvagens mais bonitos da cidade. Eu so precisei de esperar pacientemente um ano inteiro, pelas flores. Nem sequer sei do que mais se alimentaram, se das minhas regas, se das aguas das chuvas.
(...)

Frase da semana

"Cobra o que vales e valerás o que cobras."
(Ouvido numa sessão de Marketing Profissional, na Ordem dos Psicólogos Portugueses)
"Talvez se eu me chamasse Joseph Rod Saints, fosse melhor."
Jose Rodrigues dos Santos, na Visão, sobre mercados alem fronteiras

Acho que precisamos de ser quem somos, aqui ou na China. E perceber que o sabor de triunfarmos com outro nome, noutra pele, nunca seria o mesmo.

quarta-feira, 8 de março de 2017

Flash







Jardins do Palacio de Cristal
C'est les Printemps

Flash


Grandes batalhas vencem-se em silencio.
Ha dias na nossa vida que marcam um ponto de viragem.
Como se abrissem uma caixa de Pandora.
Descobri que quando ficamos em choque e nao acreditamos, as lagrimas nao fazem sentido.
(...)

segunda-feira, 6 de março de 2017

Flash


Uma arvore na cidade. Turistas.
Os gigantes da minha rua - as arvores - estão cheias de brotos verdes. Acho curioso que despontam em todas exactamente na mesma semana, desconfio que no mesmo dia e na mesma hora.
(...)
As vezes tenho medo de o amor se banalizar dentro de mim.
(...)

Sobre a fatalidade

Eu ainda acho que tudo isto aqui em baixo tem muito de roleta da sorte.
Um dia, num segundo, tudo muda. So que precisamos sempre de parar, respirar bem fundo, para tentar compreender porque que coisas tão difíceis acontecem a pessoas tão boas.
E nunca compreendemos.
(...)